Escolas de Bicicleta de São Paulo

0 Comments

O projeto – Escolas de Bicicleta – era enorme. Ele girava em torno dos 46 CEUs da cidade. Estes CEUs – Centros de Educação Unificados – são extraordinários por si só. Escolas para crianças dos 0 aos 14 anos, mas também centros comunitários abrangentes para os bairros circundantes, com instalações fantásticas para as crianças e para toda a gente. Piscinas, teatros, instalações desportivas, instalações informáticas para os habitantes locais, etc. São o centro da atividade cultural das comunidades e atraem pessoas de todas as classes para se reunirem sob um mesmo teto, por assim dizer. São muitas vezes impressionantes do ponto de vista arquitetónico e erguem-se orgulhosamente no coração das comunidades em que se inserem.

A partir de 2002, cada CEU tem um Centro de Educação Infantil, uma Escola Municipal de Educação Infantil e uma Escola de Ensino Fundamental e recebe alguns milhares de crianças no total, em alguns casos mais.

O nosso plano com o projeto era que cada CEU recebesse 100 bicicletas – 4600 no total – e haveria dois aspectos no programa Escolas de Bicicleta. Uma era simplesmente fornecer aos alunos dos 10 aos 14 anos bicicletas para serem utilizadas em jogos e actividades com bicicletas. Todos os aspectos da cultura da bicicleta seriam ensinados em cursos abrangentes com a duração de um mês, cobrindo história, cultura, nutrição, etc.

O outro aspeto era que, após o curso, as crianças começariam a ir para a escola em “autocarros de bicicleta” ou “comboios” todas as manhãs e a regressar à tarde. Teriam pontos de encontro previamente combinados e acompanhantes para os acompanhar. A longo prazo, os jovens locais seriam habilitados a atuar como acompanhantes. Os percursos foram cuidadosamente planeados. Nenhum tinha mais de 3 km e evitavam, sempre que possível, as ruas movimentadas. Foram feitos todos os esforços para garantir a segurança das crianças que iam de bicicleta para a escola.

Aqui tem um artigo traduzido de um jornal brasileiro sobre o projeto. O orçamento para este projeto foi de 540 000 euros por ano. Foram contratados 92 monitores para executar o projeto nos 46 CEU.

A bicicleta de bambu para as Escolas de Bicicleta, desenhada por Flavio Deslandes.

As bicicletas também eram únicas. O designer brasileiro Flavio Deslandes é conhecido nos círculos de bicicletas pelas suas bicicletas de bambu – Bambucicleta. Flavio viveu e trabalhou em Copenhaga, tendo co-produzido uma bicicleta de bambu para a marca dinamarquesa de bicicletas de luxo, Biomega e especializou-se na construção de bicicletas de bambu durante muitos anos. Aqui está uma filme em português com o Flávio sobre as suas bicicletas de bambu.

O autor falando aos alunos do CEU Paulistano.

Enquanto estava em São Paulo, visitei três CEUs para ver suas instalações e conhecer algumas das crianças que participariam do programa. Já andei por todo o mundo com as minhas actividades relacionadas com a bicicleta, mas tenho de admitir que visitar estes CEUs e conhecer as crianças e os professores – para não falar das pessoas da Secretaria de Educação e da ONG – foi uma experiência incrivelmente poderosa. Resumiu, em muitos aspectos, tudo o que eu espero do meu trabalho para colocar a bicicleta de volta no seu pedestal nas nossas cidades. Embora aspire a dar poder em todos os aspectos do meu trabalho na Laboratório de Design de CoolvilleSenti-me humilde com a sensação de poder que todas estas pessoas me deram.

Tags: , , ,